Piripiri será sede da primeira Olimpíada Piauiense Indígena | Piripiri 40 Graus | Noticias de Piripiri

Piripiri será sede da primeira Olimpíada Piauiense Indígena


Estivemos na secretaria de cultura e esporte do município e conversamos com a Sandrinha que é uma das organizadoras do evento.
Sandrinha: "Nós estivemos em Teresina, com o Paulo Martins, do turismo, representando a prefeitura de Piripiri, a secretaria de cultura, na pessoa do professor Dulcival Araújo, e lá nós trouxemos em mãos para cá também o projeto que é um sonho do governador Wellington Dias a realização desses jogos. Piripiri foi escolhido por ter o maior número de indígenas do estado, nós temos aqui a etnia tabajara que se subdivide em Itacoatiara e Ipi. 
Ficou acertado que os jogos, numa data exata, nós não temos, ficou uma definição assim: previsão de 5 a 9 de julho para que esses jogos aconteçam. A segunda fase ficou com a estruturação do município para o recebimento dos indígenas, que também virão de outros estados. A expectativa é que venham do Maranhão, do Ceará e da Paraíba, para que sejam realizados os jogos. Está previsto em torno de 300 indígenas para esses jogos, participantes diretos, com a participação da secretaria de cultura, da prefeitura, governo do estado. O que ficou acertado foi que a prefeitura vai trabalhar a parte campo, quadra, e a questão do Caldeirão e o alojamento dos indígenas. Que fique bem claro que esse sonho vai ser realizado também por conta dos próprios indígenas aqui de Piripiri. O governador participou do ano passado, e do ano de 2015 dos jogos. E aí disse que era um sonho dele e em um comentário dele os indígenas de Piripiri pediram para que fosse realizado também no nosso estado. 
Essa será a nossa primeira edição dos jogos indígenas; eu também sou indígena, sou vice-presidente da Associação Tabajara-Ipi. Esteve também nessa reunião o presidente o Cícero Dias, que estava lá conosco; o representante da FUNAI, o Romeu Tavares e os jogos, com certeza, têm tudo para ser um grande sucesso, aqui na nossa cidade!"

Sandrinha, quais são as modalidades dessa olimpíada?
Sandrinha: "Nós temos os jogos de integração, que são: o arremesso de lança, o arco e flecha, o cabo de força, a canoagem, a corrida de 100 metros, a corrida de fundo e a corrida de tora, e a natação. Tem os esportes também coletivos, que são alguns, aqui para nós no Nordeste, nós não conhecemos, a maioria, que é o zikunarrate não é, que é um jogo semelhante ao futebol, só que com cabeça, é arremessada a bola, o javary que é a questão da disputa em dupla realizada com competidores a cerca de 6 metros um do outro, e tem a questão do revezamento, ele é com bambu, ele é semelhante a aquele revezamento dos esportes tradicionais. Tem o kaipi que é flecha com mira no alvo também e aí a gente vai conhecer algumas modalidades diferentes são em torno de 16 modalidades, entre aquelas que a gente já conhece, são os jogos orientais, então nosso no caso do futebol, do futsal, a natação, mas também tem as modalidades indígenas que são nomes diferentes que é até uma dificuldade para nós aqui pronunciarmos não é (?) que é o kagató, kaipi, então a gente vai passar também a conhecer..."
São linguagens indígenas, não é, ?
Sandrinha: "Exatamente!"
O grande diferencial é que é novidade, até mesmo para a olimpíada tradicional porque é prática de esportes indígenas e faz parte aí da nossa cultura, ou seja, além do futebol, que a gente já conhece, da natação, que você já falou, há outros tipos de modalidades desconhecidas, conhecidas pelos índios, e que vai atrair um público muito grande, turistas de outros estados também para ver essa novidade. Está de parabéns o governador por ter tido essa ideia, Piripiri e a administração que está organizando. Já pensou? Um evento como esse de grandiosidade e acontecer aqui em nosso município, escolhido entre tantas cidades que tem no Piauí, como você falou: até mesmo pelo número de indígenas que tem em nossa cidade não é?
Sandrinha: "É, pelo último censo nós temos em torno de 3200 indígenas na região, no estado do Piauí, melhor dizendo. Piripiri, registrado na FUNAI, até o censo antigo eram 53 famílias. Só que esse número já aumentou!; porque as pessoas passaram a se identificar, passaram a sentir orgulho de ser indígena. Porque muitas vezes, alguns negavam. Hoje não: hoje eles já se identificam, assumem a sua identidade! Quanto ao evento vai ser realmente um evento grandioso a gente já vislumbrou a questão, a gente já fica imaginando o que vai ser esse tanto de indígenas dentro de Piripiri, vai atrair muita gente, vai ser um momento muito bom para Piripiri, e as pessoas vão realmente conhecer tradições, a cultura indígena não é? Parabéns aos resistentes porque Piripiri é uma cidade de destaque dentro do Piauí. O indígena de Piripiri é lutador. Aqui tinha o posto indígena da FUNAI, infelizmente já fechou... mas, estamos buscando para que esse posto retorne à nossa cidade, então... é esperar os jogos, que com certeza será um grande sucesso!"
Agora Sandrinha, para finalizar: Aqui da cidade também vai ter também competidores?
Sandrinha: "Vamos ter sim! Quase todas as modalidades! Igual nos jogos orientais..."
Mas tem que ser índio, não é?
Sandrinha: "Tem que ser índio! No caso aí, como nós temos mais as práticas dos jogos ocidentais, nós vamos participar mais neles. Só que a gente vai começar também a trabalhar os nossos jovens nos jogos com relação ao esporte indígena em si, na questão da corrida com tora, na questão do arco e flecha, na questão da canoagem que a gente também não tem muita tradição! Então essas modalidades aí a partir de agora elas serão trabalhadas também."

Com informações do Jornal da Imperial.

Notícias Relacionadas

Geral 7668100257996693415

Postar um comentárioDefault Comments

emo-but-icon

Pesquisar

Facebook

Parceiros

item